Saturday, December 17, 2011

Cesária Évora



A voz é um continente. A voz é um país, porque os países
são o que sabem e o que sentem as suas gentes.
Que impossibilidade esta estranheza!
Que música mais eterna envolve o olhar e amarra o peito!

Haverá continuamente um outro verão,
onde não acaba o testemunho. Haverá uma outra noite
e alguém que dentro há-de sentir esse sentido e seguir com ele.

E há também uma certeza: nunca se morre no caminho se caminho houve.

Esta noite tenho um verão no coração, uma velha árvore e um mar.
E uma ilha que é sôdade e que hoje chora para que não pare nunca de cantar.

No comments: